domingo, 31 de outubro de 2010

Quem sabe faz a hora!

A VI Edição do Festival Visões Urbanas está recebendo inúmeras criações de artistas de vários continentes que estão atendendo ao chamado, mostrando que o festival vêm ampliado seu alcance.
Isso é muito bom para a cidade, pois reafirma a regularidade do festival e seu potencial em permanecer no tempo. Se é bom para o festival é também para a comunidade artistica da cidade como um todo.
Ressalto que já ("quem sabe faz a hora!") estamos recebendo inscrições para participar da primeira turma do LEVANTE Centro Integrado de Artes e Dança em Espaços Urbanos, que ocorrerá de janeiro a março de 2011! Interessados devem procurar no blog do Levante: http://www.centrodedancanarua.blogspot.com para fazer sua inscrição.
Abraços à todos
mirtes calheiros

2 comentários:

  1. Luciana Bortoletto20 de janeiro de 2011 08:05

    Aguardo ansiosa novidades sobre a seleção dos projetos! Grande abraço!Lu

    ResponderExcluir
  2. "ESPAÇO E LUGAR" - Yi-Fu Tuan


    “O lugar é a segurança e o espaço é a liberdade; estamos ligados ao primeiro e desejamos o segundo.”

    “...se pensarmos no espaço como algo que permite movimento, então lugar é pausa; cada pausa no movimento torna possível que localização se transforme em lugar.”

    “O espaço e seus tributos são experienciados diretamente no ato de locomover-se. Uma pessoa imóvel terá dificuldade em dominar até as ideias elementares de espaço abstrato, porque tais ideias se desenvolvem com o movimento – com a experiência direta do espaço através do movimento. ”

    “... o lugar é um arquivo de lembranças afetivas e realizações esplêndidas que inspiram o presente; o lugar é permanente e por isso mesmo tranquiliza o homem... ”


    “No lar, os móveis como uma escrivaninha, uma poltrona, a pia da cozinha e a cadeira de balanço na varanda são pontos ao longo de um complexo caminho de movimento que é seguido dia após dia. Estes pontos são lugares, centros para organizar mundos. Como um resultado do uso habitual, o próprio caminho adquire uma densidade de significado e uma estabilidade que são traços característicos de lugar.” “O que começa com o espaço indefinido transforma-se em lugar à medida que o conhecemos melhor e o dotamos de valor”, “à medida que adquire definição e significado” (…) “A partir da segurança e estabilidade do lugar estamos cientes da amplitude, da liberdade e da ameaça do espaço, e vice-versa. ”

    “A dependência visual do homem para organizar o espaço não tem igual. Os outros sentidos ampliam e enriquecem o espaço visual. (…) Assim, o som aumenta a nossa consciência, incluindo áreas que estão atrás de nossa cabeça e não podem ser vistas. (…) o som dramatiza a experiência espacial.”

    “Tocar e manipular coisas com sua mão produz um mundo de objetos (para as crianças). O lugar é uma classe especial de objeto. É uma concreção de valor (…) é um objeto no qual se pode morar. O espaço (…) é dado pela capacidade de mover-se. Os movimentos são frequentemente dirigidos para, ou repelidos por objetos e lugares. Por isso o espaço pode ser experimentado de várias maneiras:

    *

    localização relativa de objetos ou lugares,
    *

    as distâncias e extensões que separam ou ligam os lugares,
    *

    área definida por rede de lugares. ”

    “O espaço fechado e humanizado é lugar. Comparado com o espaço, o lugar é um centro calmo de valores estabelecidos. Os seres humanos necessitam de espaço e de lugar. As vidas humanas são um movimento dialético entre refúgio e aventura, dependência e liberdade.”

    ResponderExcluir